A importância dos administradores de redes sociais e do tom de voz da marca


Foto: freepik

O BBB sempre dá o que falar. E não estamos nos referindo a estratégias de jogo, perfis dos participantes, fogo no parquinho e pegação. Estamos falando de marketing — sim!


Ano passado trouxemos aqui no blog da Mídia.Crawl que a direção do programa tinha reagido à inserção dos influenciadores digitais e os convidou para integrar a 20ª edição do BBB. Foi uma grande novidade e rendeu frutos, tanto que a iniciativa se manteve neste ano.


Agora vamos falar de algo que já vimos na edição passada e só tem crescido aos nossos olhos: os administradores das redes sociais. Eles estão fazendo (muito) sucesso!

O que começou com a Manu Gavassi em 2020, que tinha uma estratégia de divulgação perfeitamente montada fora do reality, praticamente virou lei. Quem vai para o BBB tem que deixar uma equipe a postos para se comunicar com o público e ajudar o confinado a vencer. E, pode apostar, isso faz diferença.


Entenda mais sobre o papel dos administradores de redes sociais e como isso pode ter a ver com sua marca também.


O que fazem os administradores de rede social


Como o próprio nome diz, administrador de rede social é a pessoa responsável por “administrar as redes sociais” da marca. É quem curte os comentários, responde os inbox e directs, interage com seguidores, comenta em postagens, está atento a tudo que envolve (ou pode envolver) a marca nas mídias.


Não é novidade para ninguém que estar presente nas redes sociais já não é mais um diferencial para nenhuma empresa. É preciso criar uma conexão real com os potenciais clientes. Nesse sentido, o (bom) administrador de redes sociais tem papel crucial.


As agências de marketing, que costumam fazer a administração das redes, têm expertise para entender aquilo que a persona quer ouvir, deixar a marca cada vez mais humanizada e escolher o tom de voz mais adequado para ela.


Como criar conexão com o público


Pode até soar estranho, mas se os nossos relacionamentos pessoais são baseados em confiança, proximidade e em questões atreladas à nossa personalidade, a mesma coisa acontece com as marcas.


Pense por um momento: dizer “muito obrigado” com o rosto sorridente é diferente de dizer “muito obrigado” com o semblante fechado, não é mesmo? Assim como escrever “tudo bem” em um comentário nas redes sociais é diferente de escrever “tudo bem 😊”.


A maneira como uma empresa se comunica com seu público é uma das características mais marcantes de sua identidade. Isso é chamado de tom de voz e tem tudo a ver com o fato da marca “falar”.


Querendo ou não, a marca se comunica 24 horas com seus clientes. Seja por meio de frases, emojis, cores, fotos, vídeos, memes, ilustrações. Seja não interagindo. Para que essa comunicação seja assertiva, o tom de voz precisa estar adequado. Assim, conseguirá criar conexão e proximidade com o público.


Qual o tom de voz mais adequado para minha marca?


A resposta é simples na teoria, mas um pouco complexa na prática: o tom de voz mais adequado é aquele que está mais alinhado ao do seu público. Por isso, é muito importante ter sua persona bem definida.


Mas, de maneira geral, definir o tom de voz da sua marca é mostrar quem ela realmente é, sua personalidade e seu diferencial competitivo. Se a marca (ou prestador de serviços) tem um perfil descolado, o administrador das redes sociais não deve usar um tom de voz formal porque não dá liga. Do mesmo jeito, uma pessoa mais séria e formal não combina com um tom de voz descolado, repleto de gírias e memes.


Um tom de voz pode ser:

  • Formal;

  • Despojado;

  • Escrachado;

  • Otimista;

  • Objetivo;

  • Divertido;

  • Didático;

  • Simpático/Amigável;

  • Jovem;

  • Provocativo;

  • Acolhedor, etc.

Para ajudar a escolher qual é o mais adequado à sua marca, primeiro pense: qual imagem ela quer passar, quais são seus valores, como ela se diferencia em seu segmento, quem é sua persona. Depois, imagine a marca como uma pessoa para humanizá-la e responda às seguintes questões:


- Quais adjetivos melhor representam essa “pessoa”?

- Que tipo de comportamentos ela teria?

- Quais palavras ela usaria em uma conversa com outra pessoa?


Assim fica muito mais fácil definir o tom de voz da sua marca e começar a usá-lo de acordo com o contexto nos mais diversos canais de comunicação. Mas vale lembrar que cada mídia social tem a sua linguagem, ok? No LinkedIn é mais formal; no Twitter, totalmente informal — por exemplo.


Para ver como o tom de voz é colocado em prática, basta analisar algumas marcas que fazem sucesso em sua comunicação. É o caso da Netflix, que tem um tom de voz jovem e divertido e não costuma perder nenhum “lance” quando o assunto é meme.


E por mais que você não curta muito o BBB, vale a pena estar atento a como as redes sociais dos participantes têm se movimentado. A Netflix e o Outback já responderam a perfis da Thais e da Sarah, respectivamente.


São bons exemplos de administradores atentos em promover tanto o participante do reality quanto a marca.


Quer saber qual é o tom de voz mais adequado à sua marca e começar a colocá-lo em prática agora mesmo? Fale com a Mídia.Crawl.